in

Aquecimento global pode acabar com a cerveja no mundo

heat wave in the city and hand showing thermometer for high temperature

De acordo com um estudo publicado na revista científica Nature, uma das mais renomadas do mundo, o aquecimento global pode afetar a produção de grãos, incluindo aqueles usados na fabricação da cerveja, podendo levar a bebida à escassez em diversas regiões do planeta.

Calma, cervejeiro! A projeção pode não ser das melhores, mas a concretização dela deve demorar e ainda há tempo viável de fazer com que esse cenário com pouca cerveja nas prateleiras não se torne realidade.

Entendendo melhor essa história

A pesquisa realizada por universidades dos EUA, China e Inglaterra não traz boas notícias para os amantes da cerveja. Os cientistas apontam que as mudanças climáticas, que já vêm ocorrendo, têm grande potencial de limitar a produção de cevada devido ao aumento das temperaturas. Isso promoveria a subida nos preços de fabricação e comercialização da bebida e, consequentemente, a redução do consumo dela.

“Assim como outras espécies produtoras de grãos, a cevada tem limites de temperaturas. Um aumento de temperatura nas atuais regiões produtoras poderia impactar a produção de cevada, principalmente aquela destinada ao fabrico de cervejas”, explicou Euclydes Minella, pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), ao Infomoney.

Créditos: Bigstock Photo

Segundo o estudo, no melhor dos cenários projetados um pack com 6 latas de cerveja poderá custar mais de US$ 20 em 2050. Se fizermos a conversão para a nossa moeda, essa caixinha de cerva custaria, na cotação do dólar de hoje, mais de R$ 80! Isso dá aproximadamente R$ 14 por uma simples American Light Lager “de mercado”.

Conforme aponta a publicação, se a temperatura continuar subindo, nos próximos 10 anos podemos encarar uma queda de 4% na produção da cevada, o que resultaria no aumento de 15% do valor cerveja e numa redução de 16% no consumo mundial do “líquido sagrado”.

Não é preciso entrar em pânico

Apesar desse estudo trazer projeções nada animadoras para quem gosta de cerveja, especialistas amenizam esse cenário futuro. Os cervejeiros não precisam se desesperar e estocar centenas de latas e garrafas nos armários de casa.

“O período de aquecimento pode durar de poucos a milhões de anos. É incerto. Com isto quero tranquilizar os apreciadores de cerveja afirmando que não será no curto ou médio prazos que a produção de cevada vai ser reduzida a ponto de causar escassez e por consequência, possível aumento nos preços”, comentou Minella em entrevista para o Infomoney.

“No momento não temos como prever até quando a temperatura vai continuar a subir e tampouco sabemos o limite do aumento”, complementou o pesquisador da Embrapa.

Apesar de a escassez de cerveja não ser a pior catástrofe que o aquecimento global pode causar, a bebida faz parte da cultura e acompanha a história de muitos países, incluindo o Brasil. Mais do que um líquido alcoólico, a cerveja é uma ferramenta de nutrição e socialização. Portanto, é importante que a gente esteja preocupado com esses impactos climáticos desde agora para que gerações futuras também possam se deliciar com umas cervejinhas!

Fontes: Nature e Infomoney.

Deixe uma resposta

O QUE VOCÊ ACHOU?

Escrito por Fernando D'Aquino

Produtor de conteúdo apaixonado por tecnologia, games, esportes e, principalmente, cerveja de qualidade!

Escritor

Uma Visita à Westvleteren – a mais icônica das Trapistas

Receita: massa de pizza com cerveja IPA