in

Cerveja Porter, dos portos ingleses para o mundo!

No início do século XVIII, após os longos e árduos expedientes carregando sacas de grãos e outras mercadorias, os trabalhadores dos portos da Inglaterra, especialmente de Londres, costumavam parar nos pubs da região para tomar uma ou algumas merecidas cervejas. Essa galera misturava várias brejas disponíveis nas tabernas (geralmente eram Pale Ales, Old Ales e Mild Ales) para gerar uma bebida mais alcoólica com preço em conta. A cerva marrom-escura de perfil torrado originada dessa combinação começou a ser chamada de cerveja Porter, fazendo referência a esses trabalhadores portuários conhecidos como porters.

A English Porter, como é identificada muitas vezes, ganhou popularidade rapidamente e começou a ser exportada por volta do ano 1800. Contudo, sua produção foi bastante reduzida no período que antecedeu a Primeira Guerra Mundial. O estilo praticamente deixou de existir na década de 1950, mas felizmente para os amantes do malte tostado ele foi resgatado nos anos 70.

Com o avanço tecnológico e a adoção de novos ingredientes, foram surgindo variações como Baltic Porter, Brown Porter, Smoke Porter, Robust Porter, American Porter, Imperial Porter e Stout Porter – que com o tempo ganhou fama e começou a ser chamada somente de Stout.

Tostando seu paladar

A cerveja Porter é possui caráter de maltes tostados e torrados, proporcionando ao líquido uma aparência marrom de média a alta intensidade, podendo trazer reflexos rubis, e espuma de cor bege com moderada formação e boa retenção.

Os aromas básicos desse tipo de breja são de panificação, biscoito, tostado e chocolate. Em segundo plano podem aparecer notas de caramelo, nozes, toffee e frutadas. Essas mesmas nuances podem ser percebidas no sabor, com variações ainda de café e alcaçuz. O importante é que esse gosto de tosta e torrefação não sejam exagerados.

Mas e o lúpulo? Ele até pode aparecer com toques florais ou terrosos, aspectos bem tradicionais dos lúpulos ingleses, mas normalmente não recebem destaque nesse estilo. De corpo médio e carbonatação moderada, uma cerveja Porter possui um aspecto levemente licoroso com teor alcoólico que vai de 4% a 5,4%, segundo o BJCP.

Para quem deseja explorar esse estilo, dois dos rótulos clássicos são a Fuller’s London Porter e a Samuel Smith Taddy Porter. Outra gringa que experimentei recentemente e curti foi a Rogue Mocha Porter, destacando sabor de café e chocolate.

Porém, temos bons exemplares brazucas, como a Tupiniquim Coconut Super Porter (com coco queimado na receita), a Way Avelã Porter (pra quem gosta de toffee e caramelo é um “copo cheio”) e a Chicago Blues, uma das brejas de linha própria do Clube do Malte maturada em barris de madeira – a tiragem recente maturou em barricas de carvalho americano!

Conta pra gente, qual a sua cerveja Porter favorita?

Deixe uma resposta

O QUE VOCÊ ACHOU?

Escrito por Fernando D'Aquino

Produtor de conteúdo apaixonado por tecnologia, games, esportes e, principalmente, cerveja de qualidade!

Escritor

Você sabe como armazenar e conservar cerveja?

Cervejas de Pernambuco