in

Duelo de cervejeiras – É das azedinhas que elas gostam mais

Para estrear essa seção aqui no blog, uma ideia que veio junto com a bagagem adquirida da Beer.com, contamos com a participação de duas integrantes da nossa redação: a diretora de arte da nossa revista Cerveja de Todos os Jeitos Priscila Costa e eu, Ana Paula Komar, jornalista do Clube do Malte. Nós degustamos duas cervejas Sours de respeito, que inclusive já foram enviadas no clube de assinatura Beer Pack, e confirmamos: “Cerveja de mulher é a qual ela quiser tomar”, seja ela forte ou leve, amarga ou mais adocicada e também as cervejas azedas Sours.

Cerveja da Ana (a minha)

Guaya Bomb

Cervejaria: Lobos | Origem: Pinhais – PR | Estilo: Berliner Weisse | Teor alcoólico: 3,8%

A Guaya Bomb é uma Berliner Weisse, estilo também conhecido como Champanhe do Norte. Esta cerveja recebe adição de goiaba e durante sua maturação é adicionado hibisco para ressaltar sua cor rosada. Traz no sabor notas cítricas, características do estilo, e da goiaba, que também está em evidência no aroma. Essa receita passa ainda pelo processo de acidificação com Lactobacillus para incorporar acidez, resultando em uma cerveja refrescante e muito saborosa.

De um lado

Um pouquinho sobre mim: Sempre fui fã das cervejas Weiss, Witbiers e algumas IPAs e APAs e confesso que a Sour não foi amor no primeiro gole. Quando tomei a primeira cerveja Sour fiz muita careta, mas hoje é, sem dúvida, um dos meus estilos preferidos. Eu entrei para o time do Clube do Malte em 2015, já estudei e escrevi muito sobre cerveja, fiz curso de beer sommelier e estou à frente do editorial da nossa revista Cerveja de Todos os Jeitos há 4 anos. Um pouco antes de começar a trabalhar no Clube já havia despertado o interesse pelas cervejas artesanais, mas ela ganhou meu coração e paladar mesmo após o contato diário com os produtos, história, cultura, aroma e sabores que a bebida nos proporciona.

Por que escolhi a Guaya Bomb?

Essa é uma cerveja incrível! Tive o privilégio de prová-la pela primeira vez quando ela entrou na seleção do Beer Pack, em junho de 2019, e de lá pra cá está sempre na minha geladeira. Feita com goiaba, a fruta está muito presente no sabor e principalmente no aroma da cerveja. A fruta combinou muito bem com essa Berliner Weisse. É uma cerveja com carbonatação alta (característica que gosto muito), é leve, refrescante, de acidez moderada e excelente drinkability. Um gole chama o outro. A cervejaria Lobos manda muito bem com suas Sours, outra deles que gostei muito, mas foi edição limitada para o evento curitibano The 12 Beers, é a Pinã Sour, uma cerveja com abacaxi e coco, bem frutada e muito refrescante. Estou na torcida para eles produzirem novamente.

Cerveja da Pri

Sensa Sour

Cervejaria: Ignorus | Origem: Colombo – PR | Estilo: Berliner Weisse | Teor alcoólico: 3,5%

Sensa Sour é uma bela versão do estilo Berliner Weisse. Ela traz uma combinação de sabores amados por muitas pessoas: morango e chocolate. Nesse caso, a cervejaria usou cacau na receita para trazer as características do chocolate. Apresenta aroma com notas ácidas que remetem a iogurte e forte presença de cacau e de morango. No sabor traz acidez moderada, baixo amargor e presença marcante das frutas adicionadas. É uma cerveja com perfil ácido e paladar seco.

Do outro lado

A Priscila Costa é diretora de arte da revista Cerveja de Todos os Jeitos há mais um ano. Desde que entrou no Clube o seu conhecimento e apreciação de cervejas artesanais só foi aumentando. Participante assídua das aulas e degustações de cerveja dentro da empresa, ela também ama um evento cervejeiro e está sempre em busca de novas descobertas no copo. Não tem um estilo preferido, mas está bem inclinada às cervejas Sours. “Sou bem indecisa sobre isso ainda, gosto bastante das Lagers e das APAs, mas ultimamente tenho preferido as Sours”, diz Priscila.

Por que escolheu a Sensa Sour?

“A Sensa Sour traz um belo aroma que lembra um bombom de morango, mas essas notas adocicadas são bem diferentes do que ela traz no sabor, que é ácida, porém sem perder a presença das frutas. Achei bem surpreendente no paladar, é uma das minhas Sours preferidas. Boa para tomar em dias de calor, na praia, na piscina, ou acompanhada de uma boa sobremesa de chocolate e morango, é claro”.

Quer participar de um duelo cervejeiro com a gente? Manda um e-mail pra nós no revista@clubedomalte.com.br e vamos combinar esse embate.

Deixe uma resposta

Escrito por Ana Paula Komar

Jornalista, apaixonada por história, curiosa por culturas e apreciadora de boas cervejas!

InicianteVisualizaçãoEscritorVotação

St. Bernardus – uma cervejaria cheia de história pra contar

Beer Pack de julho – Coleção Hop Series