Cerveja artesanal Clube do Malte
in , ,

Como apoiar cervejarias artesanais e microcervejarias

O mercado de cerveja no Brasil está cada vez maior e saiu da sonolência com as inovadoras micro cervejarias que não param de surgir. A onda da cerveja artesanal ganhou com tudo o amor dos brasileiros, e agora, os consumidores que antes só consumiam cervejas mainstream e ocasionalmente experimentavam uma cerveja especial, estão mais envolvidos e determinados a experimentar mais rótulos diferenciados, sejam eles especiais ou artesanais

Assim, foram surgindo cada vez mais produtos, alguns mais populares, entretanto com maior personalidade frente às cervejas dispostas nos mercados e com isso o público começou a se interessar mais sobre as cervejas especiais, descobrindo que existem diferenças nas produções, sejam cores, sabores ou aromas.

A popularização das microcervejarias 

Com o despertar deste gigante adormecido surgiu um novo mercado, este novo público cervejeiro ficou “sofisticado”. É fato que nosso paladar fica mais apurado conforme vamos aprendendo e degustando novos produtos, vou citar um exemplo: determinada micro cervejaria brasileira que produz ótimas cervejas, inclusive com conquistas de medalhas em competições internacionais, é analisada com frequência pelo paladar apurado destes novos “experts” no assunto, que constantemente afirmam veemente que o produto mudou e que nunca mais foi o mesmo.

Outro ponto é que duas cervejas do mesmo estilo podem ser muito diferentes uma da outra e não que isso seja ruim, claro que não, porém não é produtivo para o desenvolvimento do mercado falar que uma é boa e a outra é ruim.

Como avaliar uma cerveja artesanal

O paladar individual interfere muito na avaliação, podendo até mesmo gerar dúvidas no trabalho da cervejaria que após muito tempo de pesquisa e desenvolvimento tem sua marca e seus produtos “colocados na masmorra”. Pois dependendo do comentário publicado nas mídias sociais, afirmando, por exemplo, que o produto é ruim, sendo que na realidade não agradou ao gosto pessoal, consequentemente isso se propaga e a Cerveja X fica marcada como o patinho feio.

O interessante é termos extremo cuidado em divulgar a cerveja e fazer comentários construtivos, isto faz com que o mercado evolua de forma consistente. Encontramos uma cerveja fora de padrão, por que não fazer a reclamação diretamente ao fabricante, que geralmente capta estas informações e tenta melhorar seu produto? Isso ajuda a melhorar o produto, e termos melhores opções nas prateleiras. Muitas empresas fazem questão de ouvir seu consumidor, vamos criar o hábito de falar com as cervejarias e tentar ajudá-las.

Experimentar diversos estilos de cerveja

Hoje é corriqueiro ver o público saindo da quantidade para qualidade, todos estamos mudando e evoluindo e um ponto importante é experimentarmos os variados estilos de cerveja e entendermos o que gostamos. Por exemplo, se você não gosta de Sour, mas acaba pedindo uma e depois avalia mal, não faz muito sentido, certo?

Tenho as palavras do eterno Michael Jackson, não o cantor, como referência e não irei cansar de repeti-las que são: “…procuro as qualidades escondidas em todas as cervejas, se julgasse uma cerveja exclusivamente pelos seus defeitos e impressões ruins nunca tomaria a melhor cerveja, e sim a menos pior…”. Claro que ninguém deve e pode ser que não consiga gostar de todas, mas entenda seu paladar, dê uma chance para novas experiências, procure identificar alguma característica da cerveja que agrada, alguma percepção pode ser aproveitada seja ela boa ou ruim, nosso caminho com a cerveja ainda é longo no Brasil e temos que, cada vez mais, aprender a gostar de cerveja. 

Um brinde à cooperação!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Escrito por Ana Paula Komar

Jornalista, apaixonada por história, curiosa por culturas e apreciadora de boas cervejas!