in

St. Bernardus – uma cervejaria cheia de história pra contar

A trajetória da St. Bernardus começa em 1900, quando os monges trapistas de Mont des Cats se mudaram para Watou, na Bélgica, fugindo dos impostos cobrados na França sobre suas receitas, algo ainda não implementado na Bélgica. Eles renomearam seu novo lar como “Réfuge de Notre Dame de St. Bernard” e iniciaram ali a produção de queijo.

Em 1930, como a França assumiu uma atitude mais tolerante em relação às comunidades religiosas, os monges retornaram ao país e o laticínio desocupado foi adquirido por Evariste Deconinck.

Pouco depois da Segunda Guerra Mundial, Evariste Deconinck foi convidado pelos monges trapistas de Westvleteren a fabricar e comercializar suas cervejas trapistas sob licença. Em 1962, um novo contrato de 30 anos foi assinado para manter a fabricação da cerveja fluindo.

Contudo, em 1992, o contrato expirou definitivamente, pois as cervejarias trapistas decidiram conceder o rótulo de “Authentic Trappist Beer” exclusivamente às cervejas fabricadas dentro de uma abadia. Ou seja, St. Bernardus produziu as cervejas do mítico mosteiro belga de Westvleteren por mais de 30 anos.

Após a quebra de contrato com a Westvleteren, as cervejas produzidas ali passaram a ser comercializadas sob a marca St. Bernardus. E assim surgiu uma das cervejas mais bem avaliadas do mundo.

Evoluir é preciso

Hans Depypere assumiu a cervejaria em 1998 e, de forma lenta, mas segura, colocou a empresa de volta aos trilhos. De acordo com os números registrados em 2017, nos últimos vinte anos, a produção evoluiu de algumas centenas de milhares de litros para 4 milhões de litros de cerveja vendida ao ano.

Isso exigiu uma quantidade razoável de investimentos: abertura de uma ala totalmente nova em 2018, onde eles incorporaram espaço para armazenamento adicional; uma nova cervejaria; um novo local para reuniões, conferências e festas; uma nova recepção; área para passeios; e, ainda, um impressionante bar na cobertura de 360​​°, que também serve como sala de degustação e tem o nome de ‘Bar Bernard’.

100/100

St. Bernardus 12

A cerveja St. Bernardus Abt 12 está no topo do ranking de avaliação dos rótulos da Brouwerij St. Bernardus NV. Nota 100/100 no RateBeer, um dos mais conceituados sites de avaliação de cerveja do mundo, ela é uma das receitas originais da época em que a marca fabricava sob licença para os monges trapistas de Westvleteren. É uma cerveja de alta fermentação, coloração marrom escura e considerada por muitos uma obra prima da cervejaria. Graças ao seu suave e genuíno aroma, a St. Bernardus Abt 12 pode ser degustada sem pressa.

Pernoite na cervejaria

St. Bernardus

Já pensou em se hospedar em uma cervejaria? A St. Bernardus oferece esse privilégio. Localizada nos arredores da famosa vila de cervejeiros de Watou, é um local perfeito para quem gosta de cerveja, caminhadas e ciclismo!

Watou está situado em uma região rural com campos de salto, amplas vistas panorâmicas e pequenas estradas íngremes. É o destino perfeito se você quiser relaxar e fugir da agitação das grandes cidades. Graças às suas galerias, oficinas de artistas e vários eventos culturais, a vila respira uma atmosfera artística ao longo do ano.

E, é claro que, além de todo privilégio que a vila oferece, uma hospedagem cervejeira St. Bernardus não seria nada mal, não é mesmo?

 

St. Bernardus Tripel

de R$ 32,90
por R$

28,90

Comprar

* Ao clicar em comprar você será redirecionado para a página do produto em nossa loja.

Deixe uma resposta

Escrito por Ana Paula Komar

Jornalista, apaixonada por história, curiosa por culturas e apreciadora de boas cervejas!

InicianteVisualizaçãoEscritorVotação

Homebrewing: Como fazer a maturação da sua cerveja

Duelo de cervejeiras – É das azedinhas que elas gostam mais