in

The God Father – a trilogia

De tempos em tempos, cronistas de cinema fazem listas dos melhores filmes do século e, em todas as listas que eu vi até hoje, a trilogia The God Father aparece encabeçando a relação. Eu, particularmente, já vi esse filme mais de 10 vezes com certeza. Cada vez que eu assisto eu curto um detalhe diferente. Tenho uma teoria: filme bom é aquele que você fica pensando na história dias a fio. Parece que aquilo aconteceu de verdade e parece que aquilo aconteceu com você. Eu fiz uma análise de alguns pontos que transformam The God Father numa experiência genial:

  1. Trilha

Pode anotar: filme bom tem trilha boa. É uma regra que dificilmente falha.

  1. Paradoxo

Don Corleone é um gangster. Um assassino. Mas é conservador e tem valores de família muito fortes. Não aceita má educação. Não gosta de drogas. Não gosta de putaria. É rígido com os filhos. Isso é muito confuso na cabeça do expectador porque você acaba gostando dele como um pai ou um avô. Mas no fundo ele é do mal. E você gosta dele mesmo assim.

  1. Simplicidade

Don era rico. Podre de rico. Mas não esbanjava. Era discreto e não se exibia gratuitamente. Ele entendia que dinheiro é pedra. E poder é rocha.

  1. Filme de época

É um clássico filme de época. Mostra toda a colonização dos italianos na América. E a edição mostrando o passado na Sicília é genial. Eu morava naqueles vilarejos fácil, fácil.

  1. Atores

Marlon Brando, Al Pacino, Robert Duvall, Abe Vigoda, James Caan, Robert de Niro e Cia. Não preciso falar mais nada, né?

Não assistiu ainda? Não perca tempo.

Assistiu só uma vez? Assista mais nove como eu!

Deixe uma resposta

O QUE VOCÊ ACHOU?

Escrito por Douglas Salvador

Fundador e CEO do Clube do Malte. Amante de viagens, cinema, charutos, tenis e claro, cerveja.

8 dicas para melhorar sua degustação de cervejas

Degustação cerveja Monteith’s APA